Ponto V!

Home Game Design Classificação dos jogos Gêneros de Jogos – Esportes
Vinícius Godoy de Mendonça
Gêneros de Jogos – EsportesImprimir
Escrito por Vinícius Godoy de Mendonça

Que tal ser um campeão no seu jogo favorito, ser ouvido na escalação do time e ainda poder assistir a campeonatos internacionais a qualquer momento? Esta é a proposta dos jogos de esportes.

Para evitar ambigüidades, durante esse artigo usarei o termo “jogador” no mesmo sentido dos artigos anteriores: como o indivíduo que está controlando o video-game. O jogador virtual do esporte será tratado como “atleta”.

Controles detonados em Decathlon Na maior parte dos gêneros, o jogador não tem nenhum domínio sobre o ambiente do jogo. Ninguém realmente sabe como um exército de orcs se comporta, ou poucos realmente entendem o que é ser perseguido por um míssil num F-22. Entretanto, muitas pessoas conhecem cada nuança de seu esporte favorito – sejam as regras, características dos atletas em campo, ou táticas envolvendo o time todo. Por isso o grande desafio é fazer algo que seja realista e ao mesmo tempo divertido.

No início, jogos de esportes como Decathlon, do Atari 2600, ou Hyper Sports do MSX exigiam grande velocidade no chacoalhar dos controles. Jogos envolvendo times se assemelhavam a jogos de ação simples, onde bastava conhecer os padrões que o adversário executava para treinar uma tática capaz de vence-lo. E essa tática dificilmente se assemelhava a alguma técnica do jogo real.

Hoje, jogos como NFL e Pro Evolution Soccer exigem que o jogador esteja atento a detalhes como a escalação do time, as regras do jogo e a enorme quantidade de movimentos que podem ser executados. A riqueza de detalhes envolve não só o jogo em si, mas também a narração, ângulos de câmera e gritos da torcida.

Elementos de design

fifa-soccer Ao desenvolver um jogo de esportes é de fundamental importância conhecer bem as regras do jogo em questão. Não só as regras comuns, mas também as regras mais obscuras, suas interpretações comuns e quando os diferentes juízes dão ou não preferência por aplica-las. Por se tratar de jogos feitos para fãs, qualquer erro na implantação ou interpretação regras será duramente criticado. Isso não significa que o jogo deva ser muito exigente com o jogador. Na verdade, é realmente aconselhável permitir suavização de regras ou mesmo exclusão certas regras. Quem não gostaria de experimentar uma partida de futebol sem impedimento hoje em dia?

É necessário também ser um pouco tolerante com o jogador. O controle e a visualização do atleta não são tão precisos quanto o jogo real, em quadra. Portanto, deve-se tomar o cuidado para que o jogo não o penalize por faltas sutis, dando ao jogador liberdade para correr próximo as linhas laterais da quadra, sem o medo de retirar a bola do campo por acidente, por exemplo.

Em NFL, o atleta que não está com a bola comete a falta. Mais realista ou um problema para o jogador? Deve-se questionar o que fazer no caso de faltas, erros de arbitragem e outros tipos de situações que poderiam ser 100% evitadas num jogo de computador. Fazer um jogo sem faltas pode retirar a sensação de realidade, por outro lado, um jogo que pare o tempo todo por faltas que os atletas não controlados pelo jogador cometeram pode gerar frustração.

Tão importante quanto o próprio esporte, é o ambiente em que o esporte está inserido. A partida é a materialização do treinamento e é impulsionada pelos gritos da torcida. Um jogo perdido pode não significar a derrota num campeonato. Procure dar ao jogador um pouco dessa experiência. Será possível treinar os atletas? Quais tipos de campeonato serão fornecidos? E como a escalação do time e o esquema tático interferem no jogo? Detalhes gráficos como a propaganda ao redor do estádio, o grito da torcida, replays e um mecanismo de narração interessante também ajudam a criar a atmosfera necessária e maximizar a imersão do jogador.

A seleção Canarinho certamente faturou com os royalties no Pro Evolution Soccer Lembre-se de computar os custos com licenças. Hoje, não é possível usar a imagem de um atleta, a voz de um narrador ou mesmo a logomarca de um time sem pagar por isso. E esse valor deve ser conhecido e estar planejado no orçamento. Infelizmente, por se tratarem de jogos que simulam a realidade, esse custo não pode ser desprezado.

Finalmente, preste especial atenção à física do jogo. Do contrário de jogos de ação de tiro, não é possível tratar o atleta ou a bola como se fossem um foguete. Fatores como o quanto o gramado está liso durante a chuva, ou que ponto do corpo do atleta foi atingido pela bola são muito importantes para dar realismo. Entretanto, deve-se tomar cuidado para não inserir realismo demais. Em primeiro lugar, porque o jogador não é um atleta treinado e certamente não tem os seus reflexos tão rápidos quantos os de um profissional. Então, esperar que ele reaja rápido o suficiente para rebater uma bola de baseball, atirada a 120 km/h em 0.04 segundos é certamente um exagero. Em segundo, o jogador não está dentro de quadra e sim parado, sentado na frente de um monitor e controlando seus movimentos através de um controle em suas mãos. Essa imprecisão deve ser compensada num modelo físico tolerante, mas que mantenha a sensação do realismo.

Técnicas de programação comuns

Como filmar lances incríveis sem reduzir o gameplay? Implementações de câmeras em jogo de esportes tem dois objetivos conflitantes. O primeiro é facilitar o game play, permitindo que o jogador veja onde os atletas estão situados e permitindo que seu planejamento tático flua através do campo. O segundo, é parecer uma câmera de TV. Nas transmissões televisivas, o zoom é usado quando o atleta está próximo do gol ou enterrando a bola na cesta. Por isso, é importante experimentar diferentes ângulos e algoritmos, além armazenar dados que permitam um replay cinematográfico de grandes jogadas.

Encontrar os caminhos que devem ser percorridos pelos atletas (Pathfinding) ou se posicionar na quadra também é especialmente difícil de implementar no gênero de esportes. Em primeiro lugar, porque jogos envolvendo times são muito dinâmicos e uma boa posição em quadra é realmente difícil de se obter, mesmo na prática real. Em segundo, porque o programa deve levar em consideração o esquema tático e aspectos específicos do jogo. Por exemplo, num jogo de basquete se o time está jogando de maneira ofensiva, deve-se evitar ao máximo correr para a frente de um adversário, mesmo que isso possa bloquear seu caminho. Afinal, ao reestabelecer a posse de bola, os jogadores devem ter um caminho livre até a cesta adversária.

Portanto, também é importante implementar com cuidado as diversas máquinas de estados do jogo. Podem existir máquinas de estado para controlar a motivação do time, a forma tática do atleta ou mesmo seu humor, se está cansado ou não, entre outras coisas.

É melhor tentar jogar a bola daqui ou passar para o outro jogador marcado e próximo da cesta? Pela natureza dinâmica dos esportes, também vai estar presente a lógica fuzzy, que ajuda o módulo de inteligência artificial a tomar decisões como: “Devo atirar a bola de fora do garrafão por cima de minha marcação ou repassa-la para um colega mais próximo da cesta que está marcado?”

Também é comum o uso de sistemas baseados em dados. Podem ser tantos dados reais, que auxiliam os atletas virtuais a se comportarem de maneira cada vez mais idêntica aos atletas reais que representam, ou mesmo dados incluídos pelo game designer.

Finalmente, sistemas de mensagens podem informar ao jogo sobre o final de um tempo, a entrada da bola na rede, sobre os pedidos de bola dos jogadores em campo ou mesmo em sobre o capta os sentidos do jogador ou mensagens da camada de física do jogo.

Últimas recomendações

Nem todos os jogos de esportes envolvem ação. Alguns nem mesmo envolvem interface gráfica. É o caso do jogo on-line Hattrick, jogado por milhares de pessoas no mundo todo. Neste jogo o jogador tem uma semana para preparar escalar o time. Depois, no dia da partida, ele assiste o jogo através da descrição dos principais lances da partida, que aparecem a cada 10 ou 15 minutos na tela, como num site de notícias.

Baixar Hyper Sports 1, 2 e 3 e rodá-los no BlueMSX pode ser uma alternativa bastante divertida e nostálgica, para aqueles que querem conhecer os primórdios dos jogos de esportes. Vários jogos de esportes antigos também podem ser encontrados em sites como o Abandonia.

Finalmente, para se conhecer o dinamismo dos jogos atuais, recomendo que procure um amigo ou mesmo compre grandes títulos como Fifa Soccer, Pro Evolution Soccer ou NBA. NHL ou Madden NFL também são opções interessantes, desde que se conheça as regras do hockey e do futebol americano.

 

tracknfield


Comentários (0)
Escrever um comentário
Your Contact Details:
Gravatar enabled
Comentário:
[b] [i] [u] [url] [quote] [code] [img]   
:angry::0:confused::cheer:B):evil::silly::dry::lol::kiss::D:pinch::(:shock:
:X:side::):P:unsure::woohoo::huh::whistle:;):S:!::?::idea::arrow:
Security
Por favor coloque o código anti-spam que você lê na imagem.
LAST_UPDATED2  

Busca

Linguagens

Twitter