Ponto V!

Home Game Design Game Music História da game music – Parte II
Camila Schäfer
História da game music – Parte IIImprimir
Escrito por Camila Schäfer

Olá pessoal!

Esta é a segunda parte da nossa série sobre a história da game music. Aqui, veremos como iniciou-se a busca por qualidade sonora durante toda a década de 70.

A busca pelo som perfeito

Em 1975, a empresa de games Taito criou Gunfight, que depois foi redesenhado pela Midway. Tratava-se de um fliperama onde se podiam ouvir os disparos das armas do jogo.

As fitas cassetes pré-gravadas com música geravam um alto custo, por isso a melhor forma de ter música ou efeitos sonoros em um jogo seria através dos meios digitais, usando um chip de computador que transformaria impulsos elétricos em ondas sonoras analógicas para um alto-falante.

Para inserir música nos jogos, era necessária a transcrição dessas canções em código de computador, o que necessitava o trabalho de um programador, mesmo que ele não tivesse nenhuma experiência musical. Algumas músicas utilizadas nessa época eram originais, outras, de domínio público, como canções tradicionais.

Apesar do avanço tecnológico, o máximo que podia ser ouvido nos jogos eram músicas monofônicas e repetidas, na maioria das vezes usadas em telas de abertura ou entre as fases, como em Pac Man (1981, um dos jogos mais famosos de todos os tempos) e Pole Position (1982).

pacman

Na segunda geração de videogames surgiram consoles como o Atari 2600 (lançado em 1977) e Mattel Intellivison (lançado em 1979, com um gerador de som de três canais, ou tons). O chip de som do 2600 foi fabricado pela Atari e era conhecido como Television Interface Adapter, ou TIA chip. O sistema era limitado, por isso suas concorrentes, a Mattel e a Coleco, melhoraram o som e os gráficos em seus consoles, o Intellivison e o Colecovision.

Atari 2600 Matell Intelivision Colecovision

Os primeiros jogos de arcade possuíam sons fortes porque, como ficavam em lugares movimentados, precisavam competir com os sons do ambiente. Além disso, precisavam atrair jogadores e mantê-los interessados. Devido às limitações tecnológicas, sempre houve uma briga para reduzir o tamanho dos arquivos de áudio, por isso alguns jogos possuíam música apenas na introdução e efeitos sonoros durante o jogo.

Em 1978, a Taito lançou Space Invaders, um jogo que possuía de fundo uma batida contínua, simulando um coração pulsante. Além disso, sua trilha mudava na medida em que os inimigos se aproximavam, causando medo e suspense.

Space Invaders

Nessa época surgiu aquele que é considerado o primeiro álbum a ter música de videogame, o disco da Yellow Magic Orchestra (YMO), que continha a faixa Computer Game, com efeitos sonoros de Space Invaders.

Álbum da Yellow Magic Orquestra

No próximo post vocês saberão o que aconteceu na década de 80 e como a preocupação com a música aumentou.


Comentários (0)
Escrever um comentário
Your Contact Details:
Gravatar enabled
Comentário:
[b] [i] [u] [url] [quote] [code] [img]   
:angry::0:confused::cheer:B):evil::silly::dry::lol::kiss::D:pinch::(:shock:
:X:side::):P:unsure::woohoo::huh::whistle:;):S:!::?::idea::arrow:
Security
Por favor coloque o código anti-spam que você lê na imagem.
LAST_UPDATED2  

Busca

Linguagens

Twitter